segunda-feira, 17 de setembro de 2007

tudo bem - arnaldo jabor


arnaldo jabor é puro surrealismo.

"tudo bem" é o mais puro buñuel de "o discreto charme da burguesia". uma antropofagia bem feita, bem digerida. não se trata apenas de incorporar e modificar estrangeirismos, é autêntico. é um desmascaramento autêntico de nós mesmos.

alí está a nossa classe média, com suas hipocrisias, caridades e falências. está o salvador, o dinheiro, o dólar, o empresário, o americano. está o povo com o seu coro de senso comum e sua religiosidade turva. os personagens de jabor não são fantoches são homens, por isso capazes de tudo...

Nenhum comentário: