quarta-feira, 3 de outubro de 2007

trilogia do pós guerra - fassbinder

fassbinder realizou uma trilogia tão preciosa quanto a trilogia das cores de kieslowski. sua trilogia do pós-guerra é formada por "o casamento de maria braun", "lola" e "o desespero de veronika voss".

a idéia é genial. a alemanha passou por dois grandes traumas - um externo (perdeu a 2a guerra mundial e consequentemente sua autonomia) e outro interno (o povo alemão saiu humilhado pelas atrocidades cometidas por hitler, sendo considerado culpado pela criação de um "monstro") - é a partir dessas duas situações que fassbinder vai fazer um levantamento do comportamento humano.

parece que todos as personagens estavam trancadas a espera de alguém que abrisse as suas jaulas. quem abriu as jaulas foram os americanos. e é esse soldado-pateta-americano o responsável pela reconstrução do país. ele é um estrangeiro que faz questão de não se misturar. ao contrário, ele marca suas diferenças. é preciso dizer quem é o vitorioso, quem é o perdedor. quem teve a razão, quem criou um monstro.

em "o casamento de maria braun" acompanhamos a vida de uma mulher que manteve a esperança de reconstruir sua vida familiar durante algum tempo, enquanto era chamada de louca pelos outros. a vida para ela era o seu marido. quando findou esssa esperança, transformou-se sem parar. saiu da condição de ovelha da guerra, a procura de sobrevivência, e passou a ser um leão, a procura de poder - é claro que não há maniqueísmo, Maria Braun pode carregar em si uma ovelha e um leão o tempo todo.


em "lola", fassbinder parte para uma análise um pouco mais coletiva da situação e mostra todas as falcatruas dos homens responsáveis pela reconstrução do país. ele não esquece do individual, mas privilegia uma análise mais coletiva. o destaque do filme fica para uma cena antológica em que lola faz uma dançinha que coloca gilda (rita hayworth) como uma amadora! é sexy, é brilhante, mas é principalmente desesperador.


em "o desespero de veronika voss" ficamos diante de um personagem que já não sabe mais como se encaixar nessa nova alemanha. uma atriz que teve grande sucesso na alemanha de hitler e que vê todo seu prestígio acabar junto com a guerra. veronika é viciada em morfina, a dra. katz junto com o apoio do secretário de saúde do governo e de um sempre silencioso soldado americano é o responsável pelo tráfico da droga. mas quem é o verdadeiro desesperado do filme? veronika ou khron? veronika é vaidosa. khron é o jornalista que tenta salvá-la. mas há realmente ajuda para a vaidade?



sugestões:
-casamento de maria braun-
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=39887839

-lola-
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=39907091

-o desespero de veronika voss-
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=39888659
e
http://www.contracampo.com.br/80/veronikavoss.htm


Um comentário:

Vitor Manoel Barreto disse...

nem o conheço, vi o blog pelo de Pedro. Achei interessante. Resolvi comentar!

Mora na Filosofia é muito boa, e a música de cima desta não conheço, mas fiquei curioso.

Até