terça-feira, 15 de janeiro de 2008

dias de nietzsche em turim

"Ouçam-me! Pois eu sou tal e tal e, sobretudo, não me confundam, maldito anti-semita, maldito smitzer. Devolvo-lhe sr. fritz pelo presente, os três números do jornal "correspondência" que o sr. me enviou, agradecendo pela confiança com que me permitiu dar uma olhada na porcaria de princípios que se encontra na base desse estranho movimento. Peço não mais remeter de agora em diante, tal gênero de publicação. Temo acabar perdendo finalmente a paciência. Essas constantes falsificações absurdas e acomodações de conceitos vagos, como: germânico, semita, ariano, cristão, alemão. Tudo isso poderia no final das contas acabar me irritando e tirando-me da irônica complacência com que até agora tenho considerado as virtuosas veleidades e o farisaismo dos alemães atuais. E, finalmente, sr. fritz, o que o sr acha que eu sinto quando vejo o nome de Zaratustra na boca de anti-semitas? Sr. fritz, você me faz vomitar. Eu vomito quando o nome de Zaratustra sai de sua boca." (Nietzsche - "Dias de Nietzsche em Turim")

2 comentários:

Alessandra disse...

Júlio Bressane declarou que, ao escrever com sua esposa Rosa Dias o roteiro de "Dias de Nietzsche em Turim", procurou trabalhar o "signo Nietzsche" de maneira a compreender o homem e o processo de enlouquecimento (ou de libertação), sem se preocupar muito com o filósofo, enquanto "signo intelectual".

Anônimo disse...

O texto desse filme foi retirado do livro ecce homo de Nietzsche, um importante filósofo e crítico severo do cristianismo e do modernismo, hoje Nietzsche é um dos filófos mais estudados no mundo! Como um filme que foi baseado totalmente na obra do filósofo, na auto biografia (uma das mais originais por sinal) pode "não se preocupar muito com o filósofo"?