sexta-feira, 13 de junho de 2008

silêncio - nilson oliveira

SILÊNCIO

Quero o silêncio, silêncio de morte ou de vida,
Não importa, quero o silêncio.
Deixa-me calado,
Deixa-me ficar de olhos fechados...
Não quero mais fingir coragem,
Não quero mais argumentar com o tempo.
Vou esquecer os horizontes,
Vou vomitar os sonhos,
E adormecer a esperança...
Estou realmente cansado,
Não dá para perceber, eu sei,
Mas estou muito cansado.
Talvez pela inexistência de lágrimas
Até o sofrimento fica confuso
E sentir ou não sentir
Não faz nenhuma diferença.
Mas, por favor, não se incomode com isso,
Por favor, passe adiante,
Ignora-me,
Deixa-me despedaçar em minha insignificância.
Logo viro pó,
Logo serei esquecido,
Logo nada mais fará sentido...
Adeus para mim mesmo.
Adeus...

Nenhum comentário: