terça-feira, 16 de dezembro de 2008

"jogo de cena" e "olhar estrangeiro"

dois filmes brasileiros que precisam muito serem vistos:

1o) "Jogo de Cena" de Eduardo Coutinho


- O filme é um nó nos gêneros cinematográficos fixos, um híbrido de documentário e ficção. Eduardo Coutinho nos mostra como essas definições em gêneros típicos é superficial e arbitrária, já que a ficcionalidade está presente nos dois gêneros.


2o) "O Olhar Estrangeiro" de Lúcia Murat.


- A cineasta Lúcia Murat realiza uma investigação no cinema estrangeiro que aborda ou fala do Brasil. O filme discute a criação de esteriótipos e chichês identitários, para isso ela vai atrás de diretores, produtores e atores que participaram desses filmes. O Brasil é um ilustre desconhecido para esses homens e mulheres que falam por nós e Lúcia atua corajosamente nas entrevistas, levando quase todos os entrevistados a se envergonharem de si mesmos.

Anteriormente eu já tinha escrito sobre o assunto no post "Olhares estranhos" http://heldermaia.blogspot.com/2007/11/olhares-de-fora-cinema.html quando falei dos filmes "O Milagre do Candeal" de Fernando Trueba e "Its All True" de Welles. Mas Lúcia coloca Welles como o único cineasta a dar uma visão próxima do Brasil, sem tantos clichês e esteriótipos. 

Para mim essa é a única falha do seu roteiro primoroso, em comparação com os outros filmes mostrados no seu documentário essa é uma informação verdadeira - mas apenas em comparação, Welles é realmente mais "brasileiro", porém, o seu olhar interessado de estrangeiro é muito forte ainda, não dá para esquecer os seus interesses. Mesmo que ele tenha se aproximado do Brasil... ele ainda ficou muito distante.


Nenhum comentário: